Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Coragem!

por Viver os Sonhos, em 27.09.13
CORAGEM!
Coragem para seres quem és!
Coragem para assumires e aceitares que és. Reconheceres a tua alma.
A aurora da mudança não avisa quando se expressa. Mas, sente-se no coração. 
A alma envia um turbilhão de "Vida" para o coração sentir. Se rejeitares este sentir, se rejeitares a emoção o teu coração começa aí, nesse instante, a falir e a adoecer de dor por não o deixares sentir o AMOR.

Stª Rita, canalizado por Estrela Isa

Queridos amigos!
Na realidade quantos de nós bloqueia as emoções sem se aperceber e depois mais à frente como já acumulou demais daquela emoção acaba por sofrer e dói mesmo. A dor mais intensa não é a dor física mas aquela que só afeta a nossa alma e atinge fatalmente o nosso coração. Deixe por isso sair a dor, a desilusão, a angústia, a raiva, a irritação, a mágoa, a ansiedade...solte tudo na hora e entre depois em contacto com a sua essência. Nós não somos  negativismo, dor ou violência. todos nós somos Amor. Reprimir o que somos é que nos conduz para um círculo de dor interminável e desgastante e por vezes até destrutivo. Paremos este ciclo de dor e aprendamos com os conselhos de Stª Rita a transmutá-lo em ciclo de Amor. Sejamos corajosos para amar sem medo!

Beijinhos corajosos!

ISA

Autoria e outros dados (tags, etc)


A Missão # 3 A escolha

por Viver os Sonhos, em 13.05.13
Sentes-te bem? Estás confortável? É bom? Como descreverias o que sentes?


A mente deveria apenas servir para analisar e viabilizar o que sentimos e não para, como acontece atualmente, aniquilar o que sentimos através da razão e dos medos.

Agora faz a mesma coisa com o caminho B. Qual deles te trouxe maior satisfação? qual deles te trouxe mais empenhamento, mais leveza?

O que te trouxe mais bem-estar é o caminho certo para ti. Não interessa o que vai acontecer depois. O que interessa é o que sentes agora.

Mas e se esse caminho me levar a situações de sofrimento?

É porque esse sofrimento e necessário para aprenderes mais uma lição.

Dê-me um exemplo, por favor.

Vamos ver se eu consigo. A vida aí em baixo não é fácil. Vou falar de mim.


Mas o Senhor é um ser de Luz!

Vou falar de mim quando estive aí em baixo. Garanto-te que não foi fácil.

Eu nasci com uma série de informações do céu. É como se houvesse uma porta aberta e eu pressentia tudo. Na altura tinha duas hipóteses. Mais uma vez o Pai deixou-me optar. Utilizei o meu livre arbítrio.

Poderia não ter falado nada. Poderia não ter encarado a sociedade daquela maneira. Também não teria arcado com as consequências. Teria sido mais um homem a sofrer todas as atrocidades morais que os homens daquela época sofriam.

Mas o Senhor sofreu atrocidades físicas enormes!

Mas foi fruto da minha escolha, cabrita. Eu não escolhi as atrocidades. Escolhi a mim. Ser quem eu sou. Escolhi dizer e fazer o que fiz, porque essas palavras e ações devolviam a minha identidade como ser humano e demonstravam o amor que eu sentia pela humanidade.

Foi a mim próprio que eu respeitei. A mim e ao amor  que eu sentia por vocês. Todas as atrocidades que sofri foram a consequência, mas eu evoluí porque escolhi pelo amor e não pelo medo. Se eu tivesse escolhido pelo medo, talvez até tivesse sofrido menos, mas quem me garante que teria realmente sofrido menos? Ninguém.

Mas não é só isso.Teria eventualmente sofrido menos atrocidades físicas, mas existe maior atrocidade do que um homem não ser quem é?

Entendo.

Mesmo que não tivesse feito a escolha que fiz, teria sofrido a ausência de "Eu" e, pior que tudo, teria resumido a minha evolução a zero.

Sempre que a escolha, a utilização do livre arbítrio, é perpetuada  em detrimento do "Eu", a evolução resultante é zero.

Decora isto, cabrita. 

 Alexandra Solnado, Este Jesus Cristo que vos Fala "O Eu superior e Outras lições de Vida"
 
Queridos amigos, junto analisamos melhor as nossas situações de vida. Como vivemos e definimos o que somos e com que base escolhemos o que quer que seja para a nossa vida?
Podemos escolher pelo amor e ser quem somos e respeitar a nossa essência, ou escolher e definir a nossa vida com base no medo. A escolha é sempre nossa. A alma ou "Eu superior" conhece todo o nosso percurso passado e futuro e sabe como nos orientar mas nós enquanto "Eu" aqui na Terra é que  temos a liberdade de escolha, o livre arbítrio. Assim desejo que escolha com corpoealma.
 
Beijinhos de alma
 
Isa do blogue viver os sonhos3 
 
 

Autoria e outros dados (tags, etc)


A Missão # 2 Vibração pelo medo...

por Viver os Sonhos, em 08.05.13
Mas como sabe que já é um padrão repetitivo?

Porque  se esse ser não tivesse já fugido de si próprio em outras vidas não viria com a missão de afirmação da identidade. Viria com outra missão qualquer.

A verdade é que esse ser, caso aceite manter-se sob o jugo do pai e da sociedade, está a vibrar pelo medo e não chega a cumprir missão nenhuma.

Quer dizer que quem vibra pelo medo não cumpre missão?

É mais ou menos isso. O medo é uma frequência típica da matéria, enquanto o amor é uma frequência típica do céu.

Quem vibra pelo medo vive aí em baixo, sem conseguir e sem acreditar que o céu opera verdadeiros milagres na vida de quem se entrega.

Aliás, cabrita, se notares a própria vida é um verdadeiro milagre. Acho estranho o cepticismo. Todos os seres viventes deveriam acreditar em milagres pelo único motivo de estarem vivos.

Mas adiante.

Quem vibra pelo medo está sozinho, não se sente protegido e consequentemente não tem proteção. Vive à mercê do ego, dos objetivos básicos e materialistas que vai definindo para a sua própria vida.

E como os objetivos são construídos com o intuito básico da sobrevivência na matéria, mesmo quando são atingidos, devolvem, via de regra, uma imensa satisfação. Porque não preenchem o local menos habitado do ser humano:

O seu peito.

quem vibra pelo amor já sabe que nós aqui em cima existimos. Mesmo que ainda não veja o seu "Eu superior", sabe, instintivamente, que estamos aqui para ajudar nesta tarefa tão árdua que é a experiência na matéria.

Esse ser não faz perguntas. Limita-se a Ser. Ser é juntar a mente ao coração. Ser é saber que o sentir determina tudo. Determina a missão, o foco e como chegar lá. Determina se estás no caminho certo ou se ainda não o encontraste. Ser é saber sentir. É utilizar a mente para dar vida ao que se sente. Mas para isso é preciso entregar-se, confiar. Acreditar que estamos sempre atentos, a enviar sinais e que estes só são compreendidos pelo coração. Os sinais que enviamos não são lógicos. Esses, os lógicos, só a mente entende. E o que a mente entende está camuflado pelo medo. Os sinais que enviamos têm leitura imediata no coração. 

Experimenta um exercício:

Tens de tomar uma determinada decisão. entre o caminho A e o caminho B, tens de escolher. Agora a lógica não conta. Não interessa se no caminho A vai ganhar mais ou sofrer menos. Essas são determinantes mentais.

Imagina-te a percorrer o caminho A. Não penses no futuro, no que esse caminho te vai trazer, tanto a nível de alegrias quanto de sofrimento.

Percorre-o, só. A zeros, sem pensar em nada. apenas imagina-se a percorrê-lo.

Sentes-te bem? Estás confortável? É bom? Como descreverias o que sentes?

(Continua...)

 Alexandra Solnado, Este Jesus Cristo que vos Fala "O Eu superior e Outras lições de Vida"


Queridos amigos!

Quantas de nós pautou grande parte da sua vida pelo medo?
Esta emoção que congela a nossa ação e envenena o coração "Os olhos da Alma". Sempre que cedemos ao medo a alma clama de dor. O que quer para a sua vida?
Enfrente os medos com a certeza de aprender a sentir a força que tem dentro de si à espera de ter lugar vitalício na sua vida. 

Beijinhos corajosos! 

Isa do blogue Viver os Sonhos3

Autoria e outros dados (tags, etc)


A Missão # 1 A experiência da matéria

por Viver os Sonhos, em 07.05.13
Todos os homens vêm à terra para proceder a uma das mais complexas formas de evolução espiritual: a experiência da matéria.

Tão complexa que são necessárias várias, muitas vidas (ou encarnações) para que a tarefa seja completada.

Queres que eu fale sobre o "Eu superior". Falar sobre o "Eu Superior" é falar sobre a essência. sobre a base onde está construída toda a experiência na matéria.

Vamos por partes.

A centelha (ou mónada, ou que lhe quiseres chamar) está no céu, entre encarnações. é nessa altura que ela está a reprogramar-se. Está a visionar todas as experiências da última vida e a compará-las com existências anteriores.

  • Será que produzi algum padrão de repetição?
  • Será que reagi na última vida de forma idêntica às minhas reações noutras vidas?
  • Será que fiz escolhas que condiziam com a minha maneira de ser?
  • Será que fiz o que os outros queriam que eu fizesse ou a sociedade achava bem, ou fui mais fundo e coloquei pessoas nesta escolha?
  • Será que culpei os outros quando me aconteceram as coisas ou compreendi que era eu que atraía o mesmo padrão de acontecimentos, vida após
  •  vida, ano após ano, para pura e simplesmente aprender a escolher por mim, pelo que eu sentia e não pelo que mais me convinha?
  • Será que evitei o sofrimento, fazendo escolhas que me distanciavam de mim?
  • Será que procurei o sofrimento para ser a vítima de serviço e consequentemente o centro das atenções?
  • Será que amei realmente? Não aquele amor que cobra, que quer coisas em troca, mas aquele infinito, que recebo através do exercício da minha espiritualidade e distribuo indiscriminadamente, por toda a humanidade?
  • Será que fiz o que me tinha proposto antes de encarnado?
  • Será que fugi?
  •  Será que, mais uma vez, fugi de mim?
Estas e muitas outras questões vão sendo analisadas entre encarnações. E, respeitando o movimento "... de onde venho e para onde vou", a centelha prepara-se novamente para encarnar.

É nesta altura que se tomam decisões.

"Irei nascer num determinado tempo, num determinado país, com determinados pais, irmãos, tios, avós..."

Todas estas determinantes são estudadas na tentativa de, depois de encarnado, o ser conseguir cumprir a sua missão. A missão é definida ao pormenor. Os condicionalismos também. Se um ser necessitar de desenvolver uma identidade forte, naturalmente irá decidir nascer, por exemplo, com um pai autoritário e num local conservador.

Tudo de feição para que, numa primeira fase da vida, a pessoa se sinta tão tolhida na sua forma de ser, que a leva a, numa determinada altura, arrancar os laços que a prendem  e impor a sua personalidade.

Este ser, depois de encarnado, terá sempre a possibilidade de fazer valer o seu livre arbítrio. Quando se sentir mais pressionado por esse pai autoritário e esse meio conservador, ainda poderá escolher. Ou salta dali para fora, dá o seu grito de liberdade e, apesar das dificuldades, constrói uma vida em que é quem é, no respeito absoluto pela sua identidade, e nisto terá cumprido a sua missão, vibrando através do amor, do amor à vida, à liberdade e a quem realmente é...

... ou ainda poderá aceitar a repressão, culpando sempre esse pai e essa sociedade pelo seu infortúnio e certamente não terá cumprido a sua missão, reproduzindo um padrão repetitivo de comportamento já vindo de outras vidas passadas.   

Mas como sabe que já é um padrão repetitivo?

 (Continua...)

Alexandra Solnado, Este Jesus Cristo que vos Fala "O Eu superior e Outras lições de Vida"


Queridos amigos considero que estas questões são deveras pertinentes para a nossa evolução espiritual. Será necessário que nos questionemos sobre estas e muitas outras para compreendermos os nossos padrões de comportamento e tomarmos consciência da nossa Missão de vida - os anseios da nossa alma ou "Eu superior".
Beijinhos abençoados!

Isa do blogue viverossonhos3 


 
 
 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Harmonia eterna

por Viver os Sonhos, em 08.02.13

Tudo muda repentinamente.
Tudo muda num instante.
A vida e a morte funde-se numa harmonia eterna.
O infinito da mente repudia a morte, associa-se à dor.
Dor é afastar-se da Luz do Amor, da Paz no Coração.
A morte é uma dimensão transitória da vida.
A dor da morte mostra o que se aloja no teu ser.
Viaja para lá do infinito, para lá do horizonte percetível.
Viaja, viaja nas asas do vento e transporta-te até mim, até à tua casa.
És centelha divina, luz eterna, ponto de Amor no coração do cosmos.
Ascende ao Teu Eu Superior, descobre a tua Missão e sê feliz.
Vive a vida que escolheste para ti.
Vive a ajudar os outros que te ajudam a ti.
Não resistas, não fujas aquilo que o teu ser quer verdadeiramente.
És uma alma a viver uma experiência humana. Isto faz toda a diferença na tua vida se interiorizares esta  verdade.


S. Paulo, canalizado por Estrela a 21-01-2013

Beijinhos divinos! Bom fim de semana.

Isa

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.





Mensagens


subscrever feeds