Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Pesadelo Surreal # 3 Não apague a sua estrela!

por Viver os Sonhos, em 22.11.12
 


Queridos amigos, cuja alma não se cansa de sonhar, desejo a todos um excelente fim de tarde.
Vou hoje concluir o sonho que iniciei à dois dias.


(...) Nesse momento senti de imediato a Energia de Jesus. O meu coração acalmou, a angústia no peito quase desapareceu e uma Paz envolveu todo o meu corpo. As crianças acalmaram e nada lhes tirava o sorriso do rosto.
Cheguei finalmente ao carro, onde estavam as outras crianças e lá fomos nós, a cantar e a bater palmas, a seguir o sol e a acreditar no Amor. 
Cá vamos nós, disse eu às crianças. Já viram um Arco Íris? 
Jesus vem buscar-nos e ensina-nos o caminho certo para vermos o arco íris...
Está tudo bem crianças quando nós estamos bem!  E Jesus protege-nos.
Ainda escutei sons abafados de tambores envolvidos e acompanhados em simultâneo de sons metálicos. Mas, querem saber não senti nenhuma curiosidade nem vontade de ficar ali nem mais um minuto para descobrir o que se passava de verdade.

 

A partir deste momento o sonho alterou o seu cenário para uma paisagem de luz dourada, pincelada de raios verdes, azuis e rosas e comecei a receber  mensagens de Jesus a todo o instante. Jesus dizia: 
- Tu Estrela és uma estrela linda, um ser de luz multidimensional, és um ser de Amor, criativo e único. És de verdade uma "Estrela" que ilumina o Universo na sua zona escura. Vives agora esses horrores porque quiseste experienciar a vida de sofrimento e dor dos Seres Humanos para assim conheceres a melhor forma de os ajudares a ver o caminho da luz. 
Sempre achaste que só compreenderias os que se perdem na escuridão, se também tu fosses viver na escuridão; se também tu sofresses e fosses capaz de descobrir e caminho para regressar à luz. 
Ninguém consegue ajudar por mais que queira, senão viveu, sentiu ou sofreu situações extremas como vivem as pessoas aí na Terra. 
Foste estudar a energia densa, como sobreviver na energia densa, sem sufocar, ou sem se suicidar, ou sem se deprimir ao ponto de ficar dependente de drogas, e não viver verdadeiramente. Foste muito corajosa "Estrela", foste dar a tua Luz em prole da Humanidade. Não tinhas garantias de resistir, mesmo assim fostes. Foi total entrega e aceitação. Por isso sofres tanto...Por isso me questionas e te sentes tão distante do Amor Incondicional a que estavas habituada.
Sei que se soubesses o quanto é difícil ultrapassar e enfrentar todos os teus Medos perceberias o sofrimento nas várias dimensões que já reverenciaste.
Nunca estás só! Nunca estás só! Tu é que escolheste essa Missão, principalmente porque te custou sempre aceitar e não te resignavas nunca com o facto de crianças e jovens lindos, puros e inocentes se transformarem-se na fase adulta, em seres materialistas, egoístas, desonestos; ou os mais sensíveis para sobreviverem tornavam-se dependentes de drogas, viciados para aguentarem a sua vida até ao fim de seus dias.
  

Porquê? Porquê que o brilho da estrela se apaga na fase adulta? O que acontece à alma dessas pessoas? 


E foi assim que decidiste ir averiguar e passar por todo o sofrimento necessário.
Repara na oração do Pai Nosso. Repara bem pois faz a ligação do mundo visível e invisível e isso vai ajudar-te a perceber muitas situações, vais ter outra percepção de tudo, até do sofrimento emocional. Talvez assim não sucumbas à dor! 



Queridos Amigos!

Este sonho tem muitos elementos que podemos analisar. No entanto, parece-me fulcral a ideia de que somos feitos do mesmo material que as estrelas e, por isso, se a nossa vida se torna naquilo que não queremos é porque deixamos apagar o brilho da nossa essência. Além disso, concordo com Fernando Pessoa quando diz que o " Homem é do tamanho do seu sonho".

Tenha uma boa noite e bons sonhos!

 I.M.


Autoria e outros dados (tags, etc)


Pesadelo surreal # 2 Onde encontro o AMOR?

por Viver os Sonhos, em 21.11.12
 

O AMOR é facilmente confundido com controle, possessão, desejo, necessidade, dependência, atração, segurança, proteção, companhia, e muito mais. Mas, o Amor é o oposto da dor, do sofrimento, da necessidade, de controle, de prepotência, exigência, julgamento ou critica.
Amor é livre; o amor só aparece na vida de qualquer pessoa se as condições de vida o permitirem. O Amor não sobrevive num terreno onde surge a semente da vingança, da maldade.
O Amor é liberdade, pureza, é o sol que aquece o coração. Não se pode chamar Amor a um sentimento que oprime o coração, que causa dor no peito, sufoca a garganta e altera a visão.
 Quantos de nós pensa que são amados e que amam de verdade,  tendo por base uma relação de dependência e de controle?
Senti que estava só no Mundo. Mundo que me queria devorar até às entranhas do meu ser.




Encontrei um Mundo caótico, sem vida, sem luz, sem Amor. 
Sangue, horror, morte... era o Mundo que percepcionava. As crianças eram a minha salvação. E curiosamente eu era a delas. 
Peguei numa criança ao colo e puxava a outra pela mão, mas tropeçavamos constantemente nos cadáveres.
Quando cheguei ao muro branco, ouvi um som estrondoso que provocou até alteração da cor do céu, pois ficou preto e cinzento. Fiquei em pânico pois vinha do sítio alto onde deixei o carro com as outras crianças.
Decidi, para regressar mais rápido, ir lá ter diretamente por um caminho que me pareceu mais curto. Mas, não imaginava sequer em sonhos a realidade tenebrosa que me esperava. Assim que alcancei metade do trajeto a percorrer comecei a avistar do meu lado esquerdo uma paisagem estranha, confusa e de contornos pouco definidos. Porém, o meu coração disparou e as arritmias, palpitações, seguidas da boca seca, respiração ofegante e dores de cabeça, não deixavam margens de dúvida - tratava-se de algo deveras tenebroso, macabro e triste. Aproximei-me mais e mais. Foi então que comecei a percepcionar uma mancha vermelha. O que seria?


 




Oh não, oh não?! Oh não! Não quero ver isto!
O que faço para distrair as crianças? O que faço e penso para me distrair a mim própria?
Ver o que estava a ver era morrer através da visão, e se sobrevivesse com a visão daquele cenário horrível, morreria de certeza através dos pensamentos ou emoções que essa visão desencadeava.
Agora era completamente nitido - uma "Vala vermelha" de cadáveres nus sem cabeça, cobertos pelo seu próprio sangue. Irreconhecíveis, não se opercebia onde terminava um cadáver e começava o outro. Mais à frente, do meu lado direito, surgia uma "Vala Amarela" com cadáveres cobertos por um químico amarelo que deve ter sido o motivo da morte, pois estavam todos agonizados com as mãos na boca ou à volta do pescoço, como a tentar respirar mais e melhor. foram todos envenenados.

 

Já não suportava mais tanta dor. Cheguei mesmo a pensar - " O que adianta todo o meu esforço para sobreviver com estas crianças num Mundo sem VIDA e AMOR? Não sei, não vejo nenhum local seguro. Vivia segundo a segundo como se fosse o último e sempre a lutar... acreditar, a ter fé. 




 




Lembrei-me de pedir ajuda a Jesus. Se fosse para morrer, pedi-lhe para ser num local lindo, numa pradaria com relva, flores, fonte de água, passarinhos a cantar e o sol... O sol intenso e a brilhar no meu rosto... E no céu um arco irís em escada para eu subir com as crianças até ele.


Continua

I.M.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Pesadelo surreal...

por Viver os Sonhos, em 20.11.12
 Queridos Amigos!

Vou transcrever a partir de hoje vários sonhos de cariz profético que tenho tido.  Peço a todos para deixarem comentário ou partilharem um sonho vosso.
Os pesadelos são sonhos tão angustiantes que, em geral, nos fazem acordar pelo menos parcialmente. Os pesadelos podem ocorrer em qualquer idade, mas são mais frequentes na infância. Os pesadelos, em geral, causam fortes sentimentos de temor, medo ou ansiedade. Suas causas são variadas.

 

Hoje sonhei com cenários horríveis e surreais à mente humana. Acho que nem tenho palavras que consigam descrever o que vi e senti.
Ruas, casas, cidades com cadáveres no chão, ensanguentados; alguns nos minutos de agonia antes da chegada da dita "Morte". Outros moribundos tinham recém-nascidos no seu colo e protegiam-nos de animais predadores que vinham para se alimentar atraídos pelo cheiro nauseabundo a sangue. O horror, o elixir do sofrimento estava estampado no rosto de todos: mortos, moribundos e vivos. eu estava num estado total de medo, quase em pânico peguei num bebé que estava prestes a ser devorado por um RATO gigante, praticamente do tamanho de um edifício com 10 pisos. Eram gigantes porque comiam em excesso o que alterou o seu ADN genético e os transformou em seres perigosos. Estes ratos reproduziam-se às centenas por dia, e as suas crias já eram também enormes, com cerca de 10m. de altura.
 

Entrei num carro com o bebé e recolhi mais 5 crianças, e dirigi-me para as montanhas onde construíram casas fortalezas para sobreviver a estes RATOS. Porém, o perigo era iminente e as hipóteses de sobrevivência eram muito escassas. Fui perseguida por um RATO gigante resistente. Nunca desistia de nos perseguir, apesar de encontrar outras presas pelo caminho. Parecia que fazia da perseguição um jogo ou uma forma de se divertir. 
Foi super assustador para as crianças, que olhavam para trás e viam o RATO a aproximar-se a toda a velocidade.

Finalmente cheguei a uma casa abrigo na montanha. Entrei desesperada com duas crianças ainda bebés ao colo. Mas a casa estava repleta de mulheres desnudadas, umas sem braços, outras sem uma perna, outras ainda sem olhos; outras acabadas de serem esfaqueadas  soltavam o último suspiro.
Percebi que ali também corria perigo. Eu era mulher e estava intacta. algumas apontavam para uma porta, outras tentavam falar-me mas a morte venceu esse último desejo. De qualquer forma tenho a certeza que todas me queriam avisar de algo.

Voltei ao carro para fugir daquele sítio horrível. Foi quando detetei que duas crianças tinham desaparecido. Saíram do carro para fazerem chichi, disse-me a mais velha, com 5 anos apenas. E agora, o que faço? Se fico mais um minuto que seja ponho em risco a vida de todas as outras crianças; se vou embora abandono à chacina duas crianças com 2 e 3 anos respetivamente.
Decidi procurar um pouco, pois não deviam estar longe. Fui a pé por uma escarpa até que avistei um pequeno muro branco. Fui até lá e espreitei para o outro lado. Sorri aliviada, pois as duas crianças estavam lá, sentadas em cima de...Não conseguia definir bem o que quer que fosse. Uma das crianças viu-me e sorriu feliz, mostrando um pequeno carrinho de bombeiros que encontraram. Claro, são crianças, vivem no constante e eterno agora e por isso já não se lembravam do perigo que viveram horas antes.
Saltei o pequeno muro. Depois reparei que as crianças entraram naquela área por uma fenda no muro 2 a 3 metros do sítio onde me encontrava.
Conforme caminho pela relva seca e plantas agrestes, aproximo cada vez mais das crianças, mas também de uma paisagem anti natura e capaz de golpear de emoção até mesmo o ser mais frio do planeta Terra.
As crianças encontravam-se sentadas num amontoado de cadáveres, todos vestidos de branco. Era uma vala de pessoas mortas vestidas de branco.
O que significava isto? De que ritual macabro foram vítimas?
Todo o meu ser tremia, a boca secou completamente, o coração paralisou por segundos, a respiração colapsou e recomeçou com força e sem qualquer sintonia. As mãos gelaram, o olhar foi atingido por lágrimas em catarata, e a garganta sufocou com um nó de emoção tão grande que para poder respirar tinha que tossir constantemente.
Tentei chamar as crianças- Sílvia e Maria- mas não saía qualquer som, certo modo senti-me morrer também ali. Parte de mim ainda emitia pensamentos: como pode qualquer que fosse a situação justificar um cenário de morte como aquele?
Quem tomou medidas tão drásticas e dramáticas ao ponto de tirar a vida a milhares de seres humanos? Seria isto o fim dos tempos, o chamado fim do mundo? Sim. o mundo tal como o conhecia não existia mais! Onde estavam agora os "vivos"? Quem poderia viver mais do que algumas horas sendo perseguido por animais famintos e gigantescos ou sobreviver a rituais de morte, autênticos genocídios da humanidade? Onde estavam os responsáveis da "VALA BRANCA"?

 

Peguei, finalmente, nas mãos das duas crianças, sorri-lhes, beijei-as e afaguei-lhes os cabelos. Como pode o Amor puro e inocente de duas crianças sobreviver e ser mais forte que este cenário de dor?
Ou só o Amor pode sobreviver a tudo, é claro, se for Amor de verdade.

Continua... 


I.M. Sonho de 7-7-2012





Autoria e outros dados (tags, etc)


Sonho profético # 3

por Viver os Sonhos, em 17.06.12

Bom domingo meus Golfinhos Amorosos!

Hoje vou voltar a escrever sobre um dos meus últimos sonhos que considero ser profético.





 O Medo é tóxico…  Liberte-se dele e se salvará! 
(3-06-2012) 


Existia um medo intenso em todas as famílias pois esperava-se um cataclismo e não se sabia quais as consequências disso. Quem tinha negócios, lojas comerciais procurava fechar o negócio, juntar todo o dinheiro possível para ao primeiro sinal fugir dali.
Mas, o importante não era salvar os bens materiais, mas a nós próprios. Eu sabia disto e dizia a muitas pessoas, mas não me ligavam. Quem sabia também eram quase todas as crianças que cada vez mais sonhavam com o futuro, mas, por incrível que pareça não estavam  assustadas nem tinham medo como a maioria dos adultos. E não queriam fugir com as suas famílias. 

 
As crianças dormiam muito, necessitavam dormir de noite e uma parte do dia. E cada vez dormiam mais. Isto era comum a todas as crianças até aos 12 anos de idade, o que obrigou à mudança de horários nas escolas, infantários, emprego dos pais, ou seja, a uma reestruturação do quotidiano em todas as áreas.
O medo era tanto que se tornava tóxico   para muitas pessoas, sobretudo para as mais doentes e sensíveis.

 
Nuvens enormes cinzentas e pretas apareciam no céu todos os dias de manhã e desapareciam ao meio dia. Todos ficavam assustados quando olhavam para o céu.
Quem permanecer no MEDO NÃO SE SALVARÁ!.

A minha mãe e irmã ficaram contaminadas pelo medo, e por onde passassem  espalhavam o medo como uma onda magnetizada que tudo atraía a si.
Cuidado com essas pessoas pois arrastam até os mais puros de coração, aqueles que amam incondicionalmente.

 

Esse é o verdadeiro sinal que devem atender pois o MEDO é tóxico, contamina as vossas mentes e está em todo o lado, até mesmo no seio das vossas famílias, no local de trabalho ou nas reuniões com amigos.
A TV informava sobre mudanças atmosféricas o que espalhava ainda mais o medo.

 

Para libertar o medo e aquietar a mente devem fazer um desporto calmo, como o ioga, ou visualização, ou caminhadas na praia ou serra, ou exercícios de respiração durante 15 minutos, ou qualquer outra atividade desportiva mas todos os dias, como a natação, futebol, andebol, basquetebol, Ténis,...  


I.M.
 É bem verdade que praticar algum desporto ou meditação faz bem ao corpo e à alma.


Beijos amorosos.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Sonho profético II

por Viver os Sonhos, em 02.06.12

Fim do Mundo como o conhecemos… Início de outro…  

(21-05-2012, 7h30m) 

Sonhei/vivi momentos de catástrofe. Não sei bem como classificar este sonho com as palavras que conheço. Mas, era ao mesmo tempo de MORTE/RENASCIMENTO, FIM/INICIO, ESCURIDÃO/ LUZ.
 Vou registar o que me lembro, pois cada segundo que passa as ideias, imagens apagam-se à velocidade da luz.
O sonho começou por me mostrar o quotidiano de pessoas que conheço e outras que desconheço totalmente.
A minha amiga Sílvia preparava-se para ir com o filho Dinis ao cabeleireiro para lhe cortar o cabelo. Devem adiar. Não é a melhor situação para ele.
A minha amiga Margarida foi com os filhos ao parque infantil. Deverá estar muito atenta pois algo de desagradável vai acontecer…
Desemprego, desemprego…. Praticamente todas as famílias têm parentes próximos ou afastados no desemprego que vivem momentos de desespero e bloqueio total. Mudança de cargos e funções no governo para contornar a revolta social que cresce conforme os despedimentos e os protestos face às opções políticas incorretas e injustas.  

 
A 3ª Profecia Maia 















Problemas nas estradas: estradas cortadas, dificuldade ou até mesmo impossibilidade total de regressar a casa – situação comum a milhares de famílias.
Eu conseguia deslocar-me usando uma bicicleta, mas apenas alguns quilómetros e voltava sempre para um café, junto de uma escola, que estava cheio de pessoas, onde existia um barulho insuportável, mas não era seguro as pessoas saírem de lá. 

Uma empregada da escola veio dar conhecimento da existência de uma sala de descanso para os mais necessitados. Eu estava exausta e o meu marido insistia para eu ir descansar um pouco enquanto ele ficava no café a ouvir as notícias, à minha espera. Não sei bem o que aconteceu aos meus filhos, mas sei que estavam num lugar seguro. Os telemóveis já não funcionavam e a TV já estava a dar mal, e em alguns sítios já não dava nada. A luz falhava constantemente.
Ninguém podia sair do café para a rua mais do que alguns metros sem ver cenas horríveis ou até mesmo morrer. A TV informava que em alguns sítios as condições atmosféricas eram de tal forma péssimas que levava milhares de pessoas ao suicido, ou a morrer lentamente.

Chuvas intensas, nuvens escuras donde “saiam” gases, sons de gritos e tremores de terras pouco intensos eram uma constante. O tempo alternava com chuva intensa, libertação de gases e pedras que caíam do céu e uns minutos de sol e céu azul ou pouco nublado. Quando tudo parecia terminar eis que voltava o cenário irreconhecível da mente humana.

 
O desespero, medo e terror estava estampado no rosto das pessoas. Poucas mantinham a serenidade, a tranquilidade suficientes para acalmar a todos. Agiam como se soubessem que tudo iria acontecer e conheciam o fim de toda esta situação.
Saí de bicicleta com uma pessoa que não me lembro quem era. Vi cenários surreais, impensáveis ao ser humano e a toda a História da Humanidade que se tem conhecimento.
As pessoas com doenças ou que tinham sido vítimas de acidentes graves caíam e morriam em formato “sufocadas”.
Havia corpos por todo o lado, a chuva, a lama e as pedras enrolavam e arrastavam os corpos de mortos e vivos. Era como uma lixeira humana. Entrei numa gruta, pois vi pessoas a serem arrastadas para lá e quis ajudá-los. O que vi foi terrificador. Todos estavam vivos, eram cerca de 25 a 30 pessoas. Foram-se agrupando em dois círculos e a água subia, subia para dentro da gruta até que atingiu o pescoço de todos os que lá estavam. Aí libertou-se um gás e todos abriram a boca, respiraram e morreram. Ficaram a boiar de boca aberta. Eu via tudo. Mas, a mim nada acontecia. Eu não me via com corpo, mas estava lá. Passado cerca de 3 horas as pessoas mortas foram abanadas “acordaram” e quando começaram a gritar de alegria por estarem vivos, transformaram-se em pontos de luz.
Foi simplesmente incrível. Saí dali acompanhada de imensa luz e vi essa luz agrupar-se e transformar-se num raio de luz azul.   
E os corpos, o que aconteceu? Perguntava-me eu incrédula.
Somos afinal seres de luz! Tenho que avisar todos que não se entreguem ao medo, pois aquele grupo de pessoas foi corajoso e transformou-se em luz.
 

No regresso ao café assisti a um cenário incompreensível à mente humana. Pessoas a caminhar, e a sofrer, sem um braço, sem uma orelha, a sangrarem, sem pernas, completamente mutiladas num desespero louco de dor e sofrimento psicológico. Eis que uma delas quando se acabara de levantar é trespassada por uma espécie de carruagem. Caída completamente no chão, olhei e nem tempo tive para pensar fosse o que fosse e esse “corpo” transformou-se num ponto de luz. 
 
 

Eu vi, e centenas de pessoas viram também.
Muitos começaram a suicidar-se. Subiam alto, alto e atiravam-se ao chão, e antes que chegassem ao chão eram luz com vida, luz intensa. Quase sempre a forma da luz era um círculo de luz que aumentava, diminuía ou ganhava uma forma.
 
 

Vi milhares de pessoas a deitarem-se nos rios, nas águas e a afogarem-se. Esperavam que a pessoa anterior se afogasse para se colocarem em cima do cadáver, esperar pela água e afogarem-se também. Isto foi sempre num movimento que parecia infinito. Vi depois o corpo energético a abandonar os cadáveres e a transformarem-se em luz. Mas, alguns descobriram que se permanecessem em baixo (junto ao solo, onde a energia era mias densa) enquanto luz até ao máximo de 2 dias, tornavam-se novamente pessoas sem doenças, mazelas, deficiências, sem qualquer tipo de sofrimento…
  
Com essa descoberta os suicídios em massa aconteceram aos milhões. Era uns a suicidarem-se e outros e outros a “renascer da luz”, como luzes que se acendem e apagam – morte e renascimento.

Alguns renasciam, matavam-se e renasciam novamente no mesmo dia, como se de um jogo se tratasse.
Comecei a ficar perplexa com a atitude das pessoas. Pois se encontraram a solução e a ajuda divina para o seu sofrimento, porque insistiam em permanecer com aquelas atitudes de morte/vida, morte/vida? 
O que aprendiam com isso? Parecia um jogo macabro.
No céu, na terra, na água, existia os mortos vivos, os seres de luz, os cadáveres… 


 A determinada altura eu já estava com outros seres para avisar a Humanidade que o período para a Mudança tinha terminado, assim como a capacidade de transmutação rápida do corpo para a luz. Era necessário avisá-los para não brincarem mais com aquele “dom” e permanecerem na luz. 


Mas, não conseguimos ajudar o quanto queríamos; ondas gigantes de água, tão grandes que não se via o céu, tão grandes que ultrapassavam e engoliam as maiores montanhas do mundo, chegaram e cobriram a terra, tornando-a num gigante lago azul. Eu subi ao cimo das ondas sem ter corpo, só consciência e vi o sofrimento de muitos. Ajudei os que me ouviram dizer para permanecerem na luz e com isso a alcançar a eternidade. 

 
No final estava cansada, muito cansada…
 
Observações: Sei que sonhei muitos mais pormenores mas não me lembro com rigor por isso não os mencionei. Foi necessário escrever todo este texto a uma velocidade incrível. Por vezes, deixei mesmo de esclarecer e aprofundar algumas situações, pois pensar que me lembraria e poderia fazê-lo mais tarde, o que não se verificou. Isto porque sentia um ímpeto muito forte para passar para a descrição de outras situações que queriam escapar da minha consciência.
 
 I.M.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Sonho Profético #1

por Viver os Sonhos, em 27.05.12

Já sei que os sonhos não são apenas sonhos, mas muitas vezes verdadeiras premonições, avisos de tudo o que está prestes a acontecer na minha vida e eu pensava não saber. Inconscientemente já sabia e transmiti sinais a avisar, para me preparar para o grande momento - um novo ciclo estava a chegar.


Evolução da Humanidade… caminhar até à luz (2012-05-12)



O sonho desta noite foi muito forte e real para não dizer assustador. Sonhei com as várias etapas da Humanidade e vi-me na Pré-História junto de hominídeos acompanhada de seres de luz que me explicaram como aconteceu a evolução humana no planeta Terra. Sei que é absolutamente fantástico, revelador e simples. 
 No entanto, apenas me resta a sensação e a emoção do extraordinário que é, e não me lembro de mais pormenores em relação à evolução humana. Recordo que durante a noite pensei várias vezes “tenho que me lembrar disto, pois é mesmo inédito e revelador e vai ajudar milhões, biliões de seres humanos a acreditar no Bem e a salvarem a sua alma”. 
Lembro-me de pensar: “é isto a minha Missão, o desígnio maior da minha alma”, mas quase esqueci totalmente o que sonhei. Deve ser resultado das manobras do meu ego. Porém, vagamente posso afirmar que a missão era revelar à Humanidade através da escrita de um “Manual ou Nova Bíblia” e oralmente os novos valores do Mundo Novo, tal como Moisés deu a conhecer os 10 Mandamentos escritos por Deus. 
 

Além destes novos valores devo comprovar as “Novas Capacidades” de todos os seres humanos se se conectarem com a sua alma no Mundo Novo através do Bem: cura à distância, poder energético das mãos em várias áreas (cura, defesa, construção de monumentos ou edifícios…), telepatia, intuição, clarividência, etc.

A expressão “PROFETA DO NOVO MILÉNIO “ou “PROFETA DO SÉCULO XXI” foi-me sugerida muitas vezes durante o sonho.
Ainda me restam sensações e sentimentos sobre as outras etapas da Humanidade que experienciei durante o sonho, mas não dos pormenores. Acompanhei a EVOLUÇÃO DA HUMANIDADE em paralelo com as várias fases da minha vida em diferentes idades. Sei que a humanidade sentirá sofrimento, dor, medo, terror, desespero e solidão. 
 
Muitos são os que não encontram o caminho da luz, e eu devo ajudá-los nessa caminhada até à luz.
Lembro-me de escutar Jesus no meu sonho, de conversar com ele sobre como deveria proceder para ajudar todos os que tivessem vontade de entrar na luz. Senti que por mim ficava para sempre a observar Jesus e Maria que surgiu só pontualmente e não falou. Era tamanha a sensação de PAZ, AMOR, BEM MAIOR que nada mais importava. Incrível é eu lembrar-me das sensações, embora não todas, e esquecer-me do que descobri sobre a humanidade. Lembrar-me que falei com Jesus e anjos e seres de luz e, no entanto, a informação que recebi colapsou.

 Outra sensação presente ao longo do sonho era a necessidade de alertar para o escasso tempo que existia para a salvação. Daí a necessidade de atuação de um grupo de seres humanos terrestres “PROFETAS DE 2012” junto da população terrestre.                                             
 I.M.



Autoria e outros dados (tags, etc)


Sonhos proféticos: verdade ou mito?

por Viver os Sonhos, em 27.05.12




Os sonhos são construídos no lado intemporal da nossa mente, onde o passado, o presente e futuro coexistem. 
 Os sonhos prenunciam o futuro de duas maneiras:
  1. os chamados sonhos proféticos ou premonitórios que constituem um desafio para a Ciência, já que alguns deles dão informações precisas e até detalhadas e eventos que acabam se confirmar. Uma explicação espiritual possível para este tipo de sonhos refere que, sob determinadas circunstâncias, provocadas ou naturais, os sonhos são uma experiência de contato com o éter onde não existe os conceitos de tempo e espaço e prever eventos futuros é perfeitamente possível. O que os sonhos proféticos mostram não é o futuro propriamente dito mas sim uma projeção de eventos que ocorrerão SE tudo permanecer como no caminho atual.;
  2. o sonho comum, ordinário, que é só um sonho e nada mais que é o resultado de arranjos químicos internos.


A criação deste blogue resultou do meu desejo de partilhar com todos os meus sonhos proféticos dos últimos meses. Não sei com que frequências virão, ou sequer se voltarão, mas sei que devo transmitir o seu teor e mensagem para a Humanidade. Na verdade os sonhos proféticos são prognósticos e não previsões.
Convido-vos a deixar aqui registado os vossos sonhos, dúvidas e comentários... 


I.M.  

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.





Mensagens


subscrever feeds